Temos que buscar uma alternativa e não depender somente da aposentadoria

6 DE MAIO 2019

 

 

Luiz Paulo Basizza ministrou a palestra “Previdência na atualidade” no ISCA Faculdades para explicar aos presentes os novos rumos da Previdência Social no Brasil e as propostas do Governo Federal para alterações no sistema.

Responsável pela área de investimentos da Volkswagem Previdência Privada, ele lembrou que a melhor alternativa no momento é contribuir com a previdência privada, porém, é preciso estar atento as taxas cobradas pelas instituições.

De acordo com o palestrante os planos previdenciários existentes no país: Regime Próprio de Previdência Social, Regime Geral de Previdência Social, Regime de Previdência Complementar e Previdência Individual, precisam de alterações para atender com eficiência os contribuintes.

 

Conforme Basizza o atual regime é deficitário. Em 1970 eram quatro contribuintes para um beneficiário, hoje a previdência conta com um e meio contribuinte para cada beneficiário. Favorável a reforma da previdência o palestrante disse que para a economia do Brasil decolar é preciso que haja alterações no sistema.

“Os estudos apontam que em 2060, 30% da população terão mais de 65 anos e a longevidade passará dos atuais 83 para 87 anos. Isso significa que temos que buscar uma alternativa e não depender somente do que o governo vai oferecer como aposentadoria”, mencionou.  

 

Basizza frisou também que muitos dos empregos atuais irão desaparecer e que os jovens precisam estar atentos as oportunidades de mercado e se preparar para ocupar as novas vagas que surgirão. “Precisamos pensar em um novo emprego daqui para frente. O mercado vai mudar e as pessoas não conhecem as ferramentas certas para entrar no mercado futuro”, analisou.

Atualmente 50% dos trabalhadores atuam de maneira formal (carteira assinada), 34% na informalidade e 16% estão desempregados. 85% dos brasileiros recebem até três salários mínimos da previdência.

Todos os direitos reservados
© 2019 ISCA FACULDADES
Top